EconomiaRibatejo

Oportunidades para os empresários ribatejanos no Japão

Embaixador do Japão esteve em Torres Novas para apresentar o acordo

Acordo de Parceria Económica entre União Europeia e Japão aporta grandes oportunidades para as empresas

O Acordo de Parceria Económica entre a UE e o Japão entrou em vigor no dia 1 de Fevereiro. As empresas e os consumidores europeus e japoneses podem agora tirar partido da maior zona de comércio livre do mundo. O Embaixador do Japão, Jun Niimi, esteve em Torres Novas para dar a conhecer as oportunidades agora criadas pelo acordo.

A NERSANT – Associação Empresarial da Região de Santarém, acolheu na sua sede, em Torres Novas, no passado dia 12 de Fevereiro, o Embaixador do Japão, Jun Niimi, para a apresentação do Acordo de Parceria Económica entre a UE e o Japão, que entrou em vigor no dia 1 de Fevereiro.

No encontro, para a qual a NERSANT convidou as empresas da região de Santarém, a Presidente da Direcção da associação empresarial, Maria Salomé Rafael, referiu-se ao acordo como uma iniciativa muito importante para a competitividade das empresas da região. “O novo acordo é muito favorável à realização de negócios”, fez saber a dirigente, que se mostrou confiante nas empresas da região para o saberem aproveitar.

O mesmo ponto de vista mostrou o Embaixador do Japão. Jun Niimi fez questão de dar as boas-vindas em português às cerca de 40 empresas presentes, tendo avançado, logo de seguida, que “o acordo vai ser muito bom para os negócios entre os dois países. Traz grandes desafios e oportunidades para as empresas do Ribatejo”, em especial devido à redução ou mesmo anulação de impostos e à redução da burocracia.

O embaixador do Japão nas instalações da Nersant, em Torres Novas
Foto: D.R

O Presidente da Câmara de Comércio e Indústria Luso-Japonesa, Paulo Ramos, apresentou detalhadamente as oportunidades inerentes a este novo acordo entre a EU e o Japão e não quis deixar de notar às empresas da região que este é “o maior acordo económico alguma vez feito”. Quanto às oportunidades propriamente ditas, Paulo Ramos destacou o sector agroalimentar. No que diz respeito às exportações agrícolas da UE, entre outros aspetos, o acordo elimina os direitos japoneses aplicáveis a muitos queijos, como o Gouda e o Cheddar (actualmente de 29,8%), assim como às exportações de vinhos (actualmente de 15%, em média), permite à UE aumentar substancialmente as suas exportações de carne de bovino para o Japão e, no que toca à carne de porco, haverá um comércio livre de direitos para a carne transformada e quase livre de direitos para a carne fresca e assegura a protecção, no Japão, de mais de 200 produtos agrícolas europeus de elevada qualidade, as chamadas indicações geográficas (IG), garantindo também a protecção de uma selecção de IG japonesas na UE.

Na sua apresentação, Paulo Ramos referiu ainda que o acordo garante igualmente a abertura dos mercados de serviços, em especial, os dos serviços financeiros, comércio digital, telecomunicações e transportes. Além disso, o acordo facilita o acesso das empresas europeias aos grandes mercados de contratos públicos em 54 grandes cidades japonesas e suprime os obstáculos aos contratos públicos no sector ferroviário, sendo este um sector muito importante do ponto de vista económico a nível nacional e tem ainda em conta as sensibilidades específicas da UE, por exemplo no sector automóvel, com períodos de transição de até sete anos antes de os direitos aduaneiros serem eliminados.

O acordo inclui também um capítulo exaustivo sobre o comércio e o desenvolvimento sustentável; inclui elementos específicos que irão simplificar a vida das pequenas e médias empresas; fixa normas rigorosas em matéria de trabalho, segurança e protecção do meio ambiente e dos consumidores; reforça os compromissos da UE e do Japão em matéria de desenvolvimento sustentável e alterações climáticas, e salvaguarda plenamente os serviços públicos.

O Vice-Presidente da Câmara Municipal de Torres Novas, Luís Silva, presente na sessão, encerrou o encontro mostrando-se agradado com a iniciativa da NERSANT. “Uma vez mais, a associação empresarial que tanto gosto fazemos em ter sediada no nosso concelho, cumpre a sua missão: criar condições para que as empresas possam aumentar o seu volume de negócios”.

Fonte: Nersant

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close