Santarém

Santarém: Palco do “Guia de Percursos Pedestres da Lezíria do Tejo”

Santarém palco da apresentação do Guia de Percursos Pedestres da Lezíria do Tejo

Santarém recebe a apresentação do Guia de Percursos Pedestres da Lezíria do Tejo, no dia 7 de abril, às 10h00, no Jardim da República, seguido de Caminhada. O Guia é promovido pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo e conta com a colaboração da Câmara Municipal de Santarém e das restantes autarquias da Lezíria do Tejo, a par do ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.  Santarém apresenta o Percurso Pedestre “Do planalto de Santarém à Lezíria do Tejo”, com 6,2 Km, grau de dificuldade médio e duração aproximada de 3 horas.

 O Guia sugere 11 percursos pedestres que podem preencher uma agradável semana de férias em contacto com a natureza e com o melhor que o Ribatejo tem para oferecer. Cada percurso pode também ser feito de forma individual, à medida disponibilidade de cada pessoa, que tem a oportunidade de descobrir cada região, através de diversos itinerários locais que possibilitam o contacto com áreas ambientalmente interessantes quer pelas paisagens, quer pela fauna emblemática dos ecossistemas mediterrânicos ou pelo rico património edificado.

Para cada percurso existe uma ficha técnica que informa sobre a extensão, duração prevista, um mapa com o traçado do percurso e os elementos mais relevantes no local. Cada percurso permite o acesso a um ficheiro que pode transferir para o equipamento GPS e também a um ficheiro que permite visualizar os mapas dos itinerários propostos na internet.

Para informações adicionais sobre actividades culturais, alojamento e restauração, devem ser consultadas em www.visitribatejo.pt .

O Percurso Pedestre de Santarém “Do planalto de Santarém à Lezíria do Tejo”, leva à descoberta da milenar relação entre a paisagem e a vida desta cidade histórica que identifica 28 pontos de interesse  e tem ligação aos percursos da Grande Rota do Tejo, Caminho de Fátima e Caminho de Santiago.

Este percurso tem como objectivo dar a conhecer a singularidade e a riqueza monumental da paisagem do Centro Histórico de Santarém. As características naturais do território e a relação milenar estabelecida entre o rio Tejo/lezíria/núcleos ribeirinhos/vales e núcleo planalto, determinaram a estruturação desta paisagem cultural. A passagem nos principais monumentos, classificados como monumento Nacional, troços de muralha, miradouros, calçadas de encosta e seus chafarizes e núcleos ribeirinhos junto ao Tejo, demonstra a riqueza patrimonial e paisagística deste conjunto e seu sistema de vistas.

Destaca-se a evolução polinucleada com o planalto sobranceiro ao rio e suas edificações, a 107 metros, dos núcleos ribeirinhos, Ribeira de Santarém e Alfange, desde 9 metros. No extremo nascente do planalto de Santarém desenvolve-se a antiga cidadela da Alcáçova, outrora um planalto isolado. A Porta do Sol, sobranceira ao rio, era uma das entradas da cidadela, que correspondeu ao primitivo reduto defensivo (castro), com um perímetro amuralhado que tinha por entrada principal a Porta de Santiago.

Conforme a época do ano, os vales, o rio Tejo e a Lezíria de grande valor paisagístico, têm diferentes cores e expressões que enriquecem o olhar sobre esta paisagem.

As diferentes características naturais originaram distintas unidades de paisagem, como o bairro, que se caracteriza pelas encostas do maciço calcário e o seu olival disperso, e exemplares dos matagais mediterrânicos autóctones, e o campo, unidade referente à planície de solos de aluvião, adjacentes e banhados pelo rio Tejo, a lezíria e seus regadios.

Junto à margem do rio, com uma biodiversidade específica deste ecossistema ribeirinho, podem observar-se, nas marachas e galeria ripícola os seguintes exemplares da vegetação: Populus spp. – Choupos, Salix spp. – Salgueiros, Fraxinus spp. – Freixos e Tamarix spp. . Choupo branco e a presença de espécies da fauna, como: a toutinegra-dos-valados, a garça-branca, a cegonha-branca, o pato-real, o milhafre-preto, o bico-de-lacre, os rouxinóis-dos caniços e o guarda-rios.

 No ponto inicial, localizado no Jardim da República, para além da facilidade de estacionamento e de diversos serviços de cafetaria e restauração, aproveite para visitar o Mercado Municipal e os painéis de azulejos, localizado ao lado do jardim. Visite o Convento de São Francisco e a Igreja de Santa Clara, O percurso leva-o até à Ribeira de Santarém, à Igreja de Santa Cruz, prossegue até à Ponte D. Luís e Alfange. O troço coincide com o ancestral caminho de Santiago, prossegue para o miradouro das Portas do Sol, Igreja de Nossa Senhoras da Graça, segue para o Largo Pedro Álvares Cabral e pela Rua Braamcamp Freire até à Casa–Museu Anselmo Braamcamp Freire. O percurso prossegue pelas escadinhas do Milagre até ao largo, com a Igreja de Santo Estevão, também conhecida por Igreja do Santíssimo Milagre, passa pela Igreja de Nossa Senhora de Marvila, Torre das Cabaças, Igreja de S. João de Alporão, segue pela Rua Passos Manuel, encontra num recanto à esquerda as escadinhas do Carmo, desvio até à Fonte das Figueiras. Chegado/a à Praça Sá da Bandeira, praça maior de Santarém de onde partem as principais artérias comercias do Centro Histórico, e visite a Igreja de Nossa Senhora da Piedade. O Percurso termina no ponto inicial – Jardim da República.

 

Mostrar mais

Related Articles

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close