Opinião

Pega de Caras: Basta de impunidade política no município de Salvaterra de Magos

“Há épocas de tal corrupção, que, durante elas, talvez só o excesso do fanatismo possa, no meio da imoralidade triunfante, servir de escudo à nobreza e à dignidade das almas rijamente temperadas.” Alexandre Herculano

Decidi escrever este “Pega de Caras”, poucas horas depois da chegada do Verão. Um Verão que promete ser quente na Lezíria e Vale do Tejo e muito escaldante em Salvaterra de Magos, caso o Ministério Público (MP), a Procuradoria Geral da República (PGR), a Inspecção Geral da Administração do Território (IGAI) ou o Instituto de Gestão e administração (IGAP) decidam fazer uma investigação séria e rigorosa na Câmara Municipal de Salvaterra de Magos.

Ainda pensei em dar uma saltada até Stonehenge para festejar o dia mais longo do ano. Existem muitos cidadãos europeus que todos os anos por esta altura rumam até esse lugar misterioso. Talvez não fosse má ideia festejar a chegada do Verão na companhia de Celtas até ao raiar do Sol. Mas optei por ficar pela Charneca Gloriana. Respirar o ar puro com aromas das estevas, eucalipto, tojo, rosmaninho e carqueja.

Fico nesta calmaria da charneca mas em ALERTA. É que depois da primeira reportagem que escrevi no “Ribatejo News” sobre os apoios que a Câmara Municipal de Salvaterra decidiu atribuir ao Clube Amador de Pesca da Glória do Ribatejo, vocês nem fazem ideia das denúncias que me têm chegado. Ninguém imagina o desmando que vai dentro deste município ribatejano.

Hoje mesmo fiquei a saber que o presidente Helder Esménio nos últimos cinco anos tem promovido vários funcionários à categoria de Técnicos Superiores desrespeitando toda a legislação que existe. Uma matéria se for bem investigada dará “pano para mangas” e naturalmente a perda de mandato.

Nem consigo imaginar como é que o presidente da Assembleia Municipal, Francisco Caneira Madelino, não se consegue aperceber destas ilegalidades monstruosas que existem no município salvaterrense. Ou Francisco Madelino anda demasiado ocupado com outras matérias, ou na realidade, prefere nem sequer ligar ao “forrobodó” que grassa na Câmara Municipal.

Já é altura das autoridades competentes fazerem uma auditoria a sério na Câmara Municipal de Salvaterra de Magos
Foto: José Peixe/D.R

Há cinco anos a esta parte que Helder Esménio entrou numa caminhada eleitoralista com o objectivo de poder ser reeleito outra vez e depois sair com uma reforma dourada. Ele procura a todo o custo “comprar” o apoio de todas as colectividades do concelho. Passa o tempo a promover festas, feirinhas e outros eventos populistas, descurando o futuro do nosso concelho.

Para se perceber a gravidade dos concursos que têm sido feitos na Câmara Municipal de Salvaterra nos últimos anos, basta ter em consideração o que me disse um funcionário do próprio município: “No dia em que houver uma fiscalização a sério o Helder Esménio e o vereador Noel Caneira perdem o mandato. As pessoas não fazem a mínima ideia das ilegalidades administrativas que têm sido cometidas nos últimos anos.”

“E não são apenas os apoios que são dados a obras que pertencem a privados. É a falta de controlo que existe no próprio armazém da Câmara Municipal. Muitos funcionários aproveitam o desmando e a anarquia que se instalou. E algumas pessoas passam a Técnicos Superiores sem saber ler nem escrever. É uma vergonha que deve ser denunciada, para que um destes dias tenhamos uma fiscalização a sério de modo a terminar com esta festa!”, desabafou o meu interlocutor.

Como se diz na gíria popular “só fala do Convento quem lá mora dentro!”. E a pessoa com quem falamos já trabalha na Câmara Municipal há muitos anos. Mas nunca viu tantas ilegalidades como agora.

Voltando ao Clube Amador de Pesca da Glória do Ribatejo o vereador Noel Caneira é capaz de explicar quem comprou as louças para as casas de banho que estão na nova sede daquela associação recreativa? E tem a certeza que a lista de material que apresentou na última reunião de Câmara para ser ratificada corresponde à realidade? Todos nós sabemos que não. E até já houve alguns funcionários da Câmara que se disponibilizaram para nos dizer qual foram os materiais e as quantidades que a Câmara comprou para a sede dos pescadores.

Provavelmente o vereador Noel já não se lembre das quantidades nem os materiais que a Câmara comprou. Isso agora virou moda. Os políticos não se recordam do que fizeram. Os ex-ministros também perdem a memória com muita facilidade. E os ex-gestores do Banco de Portugal também. Por isso, é perfeitamente compreensível que o senhor presidente Esménio e o vereador Noel já não se recordem de todas as obras privadas que têm apoiado descaradamente nos últimos anos.

Também o senhor presidente Esménio já nem se recorde que uma funcionária que tinha a categoria de varredora de lixo e passou a técnica superior. Mas eu estarei cá para o recordar. É esse o meu dever como jornalista profissional. Basta analisar o Código Deontológico que rege a minha profissão. E a entidade que vier auditar a Câmara Municipal, certamente também lhe vai dizer quais foram as ilegalidades que o senhor tem cometido.

E o senhor presidente Esménio atribui verbas a associações ou clubes que não respeitem os seus estatutos? Que não marcam Assembleias Gerais? Que não apresentam actas há mais de um ano e meio? Pois a verdade é que nada disto é normal. E muito menos transparente.

Como jornalista profissional há mais de 38 anos, não irei ocupar todo o meu tempo com este folhetim do Clube Amador de Pesca da Glória do Ribatejo. Mas não desistirei de fazer investigações sobre as ilegalidades que têm vindo a ser praticadas pelo actual executivo camarário. Algumas delas são de uma gravidade atroz o geram alguma revolta junto de alguns funcionários que trabalham na autarquia salvaterrense há algum tempo.

Já começa a ser tempo de provar ao senhor presidente Hélder Esménio que na política não vale tudo. E violar as leis só para se conquistar votos isso poderá ter um custo elevado. Quer do ponto de vista pessoal como político.

Tal como escreveu Eça de Queirós: “Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos em tempos pelo mesmo motivo.” 

José Peixe – Jornalista e Editor do “Ribatejo News”

 

 

Mostrar mais

Related Articles

Comentários

  1. É muito simples de explicar prezada Catarina Vaz: o dinheiro do município tem sido gasto sem nenhum controlo em eventos que só têm sido ruinosos. O exemplo disso é fazer programas em directo na Televisão durante o mês da Enguia. Depois a Feira de Magos tem disso catastrófica para os cofres da autarquia. E a contratação de artistas “pimba” para as festas e romarias também têm sido um descalabro total. É por isso que eu apelo a uma auditoria às finanças da Câmara Municipal. É urgente que isso seja levado a cabo.
    Agradeço a tua participação. Bom fim de semana.

  2. Caríssimo Manuel Abade se calhar a promoção a Técnico Superior passe um pouco por aí. Uma coisa é certa está na altura de se fazer uma fiscalização aos serviços financeiros e administrativos da Câmara Municipal de Salvaterra.
    Um Abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close