BenaventeReportagem

Ambiente: Peixes mortos no Sorraia por causa do corte que foi feito no rio

O curso do rio Sorraia foi interrompido no passado dia 24 pela Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira (ABLGVFX), autorizada pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA), tendo-se criado uma espécie de açude a cerca de 1 quilómetro do Porto Alto, onde a água doce vinda de montante fica agora retida e é utilizada para a rega de mais de 10 mil hectares de culturas. A medida foi justificada com o avanço da cunha salina (água salgada) do Tejo até zonas situadas mais a norte do que seria habitual, que inviabilizou as tradicionais captações de água para rega no maior rio ibérico.

Os produtores de arroz da Lezíria Grande e Agência Portuguesa do Ambiente (APA) alegam que salinidade do rio Tejo não deixava outra opção, mas há quem fale de ameaça ambiental e de aparecimento de peixe morto. E falam muito bem!

E com as temperaturas elevadas que se avizinham a tendência é para que esta situação se possa agravar.

Quem anda a apanhar os peixes mortos das margens do Sorraia e do rio Almansor? Isso é devia ser investigado. Estão à espera de quê para abrir o rio?
Foto: J.P/D.R

Mas este corte ABSURDO e IRRACIONAL do Sorraia, autorizado pela APA até ao dia 17 de Setembro ( e não até final de Agosto como passaram para a comunicação social!), está a suscitar muitas reclamações na região, com ambientalistas e alguns autarcas a considerarem que é uma ameaça às condições hidrológicas e à fauna do rio. Há mesmo quem fale no alegado aparecimento de algum peixe morto e o assunto chegou, já esta semana, à Assembleia da República, onde o PAN (Pessoas-Animais-Natureza) questionou o Governo sobre o assunto e requereu ao Ministério do Ambiente que “remova com carácter de urgência a interrupção do rio Sorraia e restabeleça as condições naturais do ecossistema”.

A Câmara Municipal de Benavente deve exigir que a APA volte a libertar o rio Sorraia

A Câmara Municipal de Benavente diz na sua página oficial que “não foi convocada pela Associação Portuguesa do Ambiente (APA) a pronunciar-se sobre o corte do Rio Sorraia”. E avança com o seguinte esclarecimento que passamos a transcrever na íntegra.

“Relativamente à situação identificada, de construção de açude no rio Sorraia, a montante da Ponte do Porto Alto, a CMB informa que:

A Câmara Municipal de Benavente não foi convocada a pronunciar-se previamente sobre o pedido da Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira (ABLGVFX) à Agência Portuguesa do Ambiente (APA) relativo à necessidade de fazer um açude no rio Sorraia, (localizado a 1km, a montante, da foz do rio Almansor, em que a margem esquerda confina com o município de Benavente e a margem direita, com os campos da Lezíria, no município de Vila Franca de Xira). A CMB teve conhecimento do açude quando a ABLGVFX remeteu aos serviços municipais, cópia do processo de licenciamento daquela construção junto da APA. Com efeito, em processos desta natureza não há a obrigação legal das Câmaras Municipais se pronunciarem, mas podem ser convidadas a fazê-lo mesmo que o parecer não seja vinculativo.

Aqui fica a prova de que já começaram a morrer peixes nos rios Sorraia e Almansor
Foto: J.P/D.R

Após tomada de conhecimento da construção do açude no Rio Sorraia, a CMB solicitou os devidos esclarecimentos à APA., entidade licenciadora que prontamente respondeu, informando que, em função das condições climatéricas que se têm registado e a consequente escassez de água, bem como pelo facto das águas do Rio Tejo, na captação do Conchoso apresentarem um elevado nível de salinidade, e tendo em vista assegurar o sistema de irrigação dos campos agrícolas (em risco de perda total das culturas), a ABLGVFX solicitou o licenciamento da construção do açude no Rio Sorraia no local em causa, significando uma solução não definitiva, a ser levantada a curto prazo (final do mês de Agosto). Mais, informou a APA que o licenciamento não teve como suporte qualquer estudo técnico, mas que se fundou nas experiências ocorridas em 2005 e 2012, sem que, então, se tivessem registado impactos ambientais relevantes.

A CMB informa, mais, que desde a tomada de conhecimento da situação concreta, de imediato, iniciou, através dos competentes serviços técnicos municipais, e em conjunto com as pessoas que estão diariamente junto ao rio, nomeadamente os pescadores da comunidade piscatória do Porto Alto e os agricultores beneficiários, a monitorização permanentemente do rio Sorraia, não tendo, até ao momento, sido constatada qualquer mortandade de peixes.

Lembramos que esta é já a terceira vez que o rio Sorraia é cortado nestas condições, com uma intervenção temporária, mas interferindo com a natureza do rio. Tendo em conta o agravamento das condições climáticas que, no futuro, irá potenciar os períodos de seca, a CMB irá solicitar à APA e ao Ministério do Ambiente que sejam efetuados os necessários estudos sobre os impactos ambientais provocados por este tipo de intervenção no Rio Sorraia, manifestando a urgência de se encontrar uma solução de futuro que não implique cortar o rio.

Diariamente, a equipa técnica da CMB irá continuar a acompanhar a situação, por forma a conseguir-se, a todo o tempo, avaliar os eventuais impactos ambientais da construção do açude no rio Sorraia. E, caso se verifiquem indícios de morte de peixes ou de outras espécies da fauna e da flora ribeirinha, a CMB exigirá, de imediato, à APA que ordene a remoção do açude do Rio”.

E a acompanhar este texto o Município de Benavente publicou uma foto com uma legenda.

Legenda foto da Câmara de Benavente: imagem rio Sorraia (baixa mar, menor caudal do rio), onde não se detetam peixes mortos
Foto: CMB/D.R

De acordo com as associações ambientalistas a obra já provocou a morte a milhares de peixes de água doce que ficaram retidos na água salgada das marés e pode vir a ter efeitos desastrosos na biodiversidade do rio e da Reserva Natural do Estuário do Tejo. Mas a APA e a Câmara Municipal de Benavente continuam a desmentir e a defender o corte do rio Sorraia.

Contactado pelo jornal “O Mirante”, o presidente da Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira refere que são falsas as notícias e as imagens de peixes mortos, reforça que toda a obra é legal, feita com as devidas autorizações e que não entende o porquê da polémica uma vez que é a terceira vez que a Associação efectua este tipo de intervenção.

Ou seja, o presidente da Associação de Beneficiários da Lezíria Grande de Vila Franca de Xira assume publicamente que já é a terceira vez que cortam o rio Sorraia. Das outras duas vezes não se soube dos cortes. Mas agora houve alguém que alertou para esta situação absurda do ponto de vista ambiental.

Um leitor do “Ribatejo News” fez questão de alertar a opinião pública para o seguinte:

– “Infelizmente esta associação teve habilidade para arranjar dinheiro para fazer este crime ambiental mas não teve habilidade para arranjar dinheiro para construir uma comporta insuflável e escada de peixes como a que está instalada no rio Sorraia em Coruche, foi-lhes oferecido esta solução e não havia verba, conseguem dinheiro da Europa para tudo menos para o mais importante”.

Mas na opinião de Joaquim Madaleno, em 2005 e em 2012 aconteceu a mesma interrupção do rio. “São situações temporárias que têm a ver com a falta de água”, remata ao jornal “O Mirante” o responsável pela associação à qual compete a gestão do aproveitamento hidroagrícola da zona delimitada a Norte e Poente pelo rio Tejo, a sueste pelo Mar da Pedra, a Leste pelo rio Sorraia e a Nordeste pelo rio do Vau.

O objectivo da Associação é contribuir para o melhor desenvolvimento das empresas agrícolas localizadas na sua área de acção, disponibilizando água para rega e garantindo condições de defesa e drenagem que propiciem a máxima qualidade e o menor custo ao funcionamento das empresas ali instaladas.

Joaquim Madaleno não quis prestar mais declarações referindo que “em breve” será emitido um comunicado.

Não ao Corte do Rio Sorraia! O Ambiente é Responsabilidade de todos!

A Comissão de Utentes do Concelho de Benavente (CUCB) tomou conhecimento desta ANORMALIDADE ambiental e fez questão de lançar um comunicado alertando a população para o que se está a passar. Mas esta comissão não se ficou apenas e só pelo comunicado. Também enviou ofícios para o Ministério do Ambiente, Agência Portuguesa do Ambiente e para a Procuradoria Geral da República.

O comunicado emitido pela Comissão de Utentes do Concelho de Benavente (CUCB)

Aqui ficam três imagens que nos chegaram agora mesmo por email:

O que têm os técnicos da APA a dizer?
Foto enviada por um leitor
E o presidente da Câmara de Benavente não comenta nada?
Foto enviada por um leitor
Com o calor que vem aí esta situação vai agravar-se
Foto enviada por um leitor

José Peixe (Texto e Fotos) – Jornalista (C.P 552 A)

Mostrar mais

Related Articles

Comentários

  1. Acabou de chegar ao “Ribatejo News” mais três imagens de peixes mortos à tona de água. E a nota que alguém foi pago para andar a apanhar o peixe morto. Enfim… O que importa mesmo é deixar mais estas três imagens. para PROVAR que afinal de contas os peixes estão a morrer.

    1. Chega de conversa fiada da gentalha da APA e companhia! Agora o que há a fazer é desobstruir o leito do rio para evitar a catástrofe ambiental, para o futuro resolvam o problema com algum investimento e de forma sustentável mas, a contendo de todos. As motivações são sempre as mesmas: lucros fáceis sem investimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close